Buscar
  • Luciana Adamatti

Quero começar a exportar.... O que faço?


Quem vem acompanhando nossos conteúdos, sabe que este é um momento único para empresas que exportam ou que buscam ingressar no mundo da exportação. Como vimos, além das vantagens e benefícios já conhecidos (melhoria do fluxo de caixa, pulverização de mercados, melhor posicionamento de marca, entre outros), a variação cambial favorável à exportação, somada aos programas de incentivo do governo federal e à competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, estão fazendo com que mundo volte seus olhares para o Brasil como grande potencial fornecedor de produtos, sejam eles commodities, produtos semi-manufaturados ou manufaturados. Apesar de o momento econômico parecer nebuloso, nosso país tem todas as possibilidades de gerar excelentes oportunidades de negócio no mercado externo.


Você pode estar se perguntando: OK, é um momento que pode se converter em espetacular, quero participar dele e começar a vender para outros países.... Mas, como começo a exportar? É aqui que queremos compartilhar com você algumas ideias que poderão auxiliar na reflexão de como você pode iniciar a inserção de sua empresa e produtos no mercado internacional.


De acordo com o italiano Nicola Minervini, uma das maiores autoridades em exportação e desenvolvimento de mercado internacional, existem quatro questões básicas que devem ser respondidas antes de começar a delinear o plano de marketing internacional, que envolve não somente a promoção e a comunicação, mas todas as áreas da empresa (produção, engenharia, vendas, financeiro,...). São questionamentos simples, mas que definirão a criação e a implementação das estratégias da empresa:


1 - Por que exportar?

Se você:

· deseja combater concorrentes globais nos seus próprios mercados internos;

· descobre que alguns mercados internacionais oferecem maiores alternativas de lucro;

· precisa de uma base de clientes maior para atingir economia de escala;

· quer ser menos dependente de um único mercado.

Você, lá no fundo, já sabe que precisa exportar: só precisa iniciar o processo.

2 - O que exportar?

Aqui, é necessária uma avaliação interna, referente às capacidades da empresa, para atendimento aos novos mercados compradores. Este é o momento para refletir se a empresa vai trabalhar com um produto padronizado para todos os mercados ou se está aberta a realizar adequações para abordar mercados que possam ser atrativos; ou, ainda, ter produtos só vendidos no Brasil e outros somente para o mercado internacional. Além disso, nos casos de empresas com várias linhas de produtos, deve ser avaliado se todas as linhas serão ofertadas no mercado externo ou somente algumas.

3 - Para onde exportar?

Para definir os mercados por onde iniciar, recomendam-se algumas análises sobre os mercados-alvo:

· Como estão as relações políticas de nosso país com o país-alvo? Existem acordos de colaboração comercial que podem auxiliar a entrada do seu produto no mercado?

· Como está a situação econômica do país-alvo? Qual o poder de compra do consumidor com relação ao seu produto?

· Até que ponto os hábitos das pessoas do mercado-alvo diferem do mercado doméstico? Existem restrições religiosas? Práticas comerciais muito diferentes? Qual a imagem do Brasil no mercado-alvo?

· Meu produto atende aos padrões tecnológicos do mercado-alvo? Possui design adequado ao mesmo?

4 - Como exportar?

Respondidas as três perguntas anteriores, é necessário definir como seu produto chegará a quem interessa no mercado internacional, o consumidor. Neste momento, a empresa deve avaliar quais os canais de vendas e distribuição utilizar; se vale a pena estruturar equipe própria de vendas ou trabalhar com intermediários comerciais; se é interessante estruturar equipe própria para o atendimento das necessidades logísticas de seus produtos ou se é melhor desenvolver parceiro local para realizar essa atividade; entre outros pontos que são relevantes de produto para produto.


Com a avaliação prévia das quatro questões básicas, pode-se rascunhar o projeto de internacionalização da empresa, que pode ser iniciado através da construção de uma matriz SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), para análise de quatro áreas importantes para empresa: duas, totalmente sob seu controle e que podem ser melhoradas por ela própria (forças e fraquezas); e duas totalmente incontroláveis, visto que são ditadas pelas condições do mercado (ameaças e oportunidades). Através desta análise relativamente simples, é possível entender que empresas que têm suas forças e fraquezas bem claras, pode gerir melhor momentos de crise, gerados por ameaças, através da visualização de oportunidades.


Nós acreditamos que todos os produtos brasileiros possam ser ofertados no mercado internacional, e que, por consequência, há oportunidades para as empresas brasileiras lá fora. Desde frutas e petróleo, passando por biquínis e alimentos, até fertilizantes e autopeças, temos um potencial enorme de oferta, no qual o mundo todo está interessado. Como sua empresa está se preparando para vender para esses mercados cada vez mais interessados em produtos brasileiros? E como ela está se promovendo, e a seus produtos, aos potenciais compradores internacionais?


Saiba mais como aproveitar as oportunidades para seus produtos fora do país, começando a explorar o mercado internacional. Acompanhe-nos em https://linktr.ee/tradebrazilcom

Um abraço!

13 visualizações0 comentário